quinta-feira, 17 de maio de 2018

DA SÉRIE...


...VOCÊ ERROU LUIS

E como você errou Luis!


Você errou Luiz.

Errou na mão, errou na dose, errou no tempo, errou na história.

Contra tudo e qualquer argumento Luiz, você teve a oportunidade histórica de fazer diferente, mas escolheu fazer igual, escolheu piorar o que sempre criticou.

Esqueceu suas raízes, suas origens humildes e se aliou aos poderosos de plantão.

Esqueceu os seus amigos antigos e olhando apenas para o seu umbigo Luiz, abraçou a traição.

Você errou Luiz, errou feio.

Errou no mensalão, errou no petrolão, errou ao escolher e defender Dilma e ao andar na contramão.

Errou ao deixar seu filho ser o fenômeno executivo de plantão.

Errou ao deixar o poder e a glória lhe subir a cabeça.

E errou mais ainda ao deixar que o dinheiro e a fama congelassem seu coração.

Errou em Santo André, no São Francisco, no Rio de Janeiro, em Atibaia, em Guarujá, em todo o país.

Errou, na presunção de não ter ninguém à altura de sua luz.

Errou, quando se equiparou em honestidade, a Jesus.

Errou de forma trôpega e infeliz.

Você errou muito Luiz.

Errou quando transferiu a culpa pra gente que não podia mais se defender: Celso Daniel, Marisa Letícia, acusados depois de morrer.

Errou quando disse que nada sabia, quando cinicamente mentia, insistia em não se envolver.

Errou quando foi incapaz de reconhecer um erro sequer, seu ou de seu partido.

Dos genuínos dólares na cueca, às reformas em imóveis dos quais nunca tinha ouvido falar.

Como você errou Luiz!

Errou ao perder um dedo, ao fazer segredo de sua voraz ambição.

Errou ao se achar o cara, errou na auto vitimização, errou ao elogiar Chaves, Evo, Maduro, errou na manipulação.

Errou com os companheiros Dirceu, Palocci, Delcídio, Vaccari, Vargas, deixando todo mundo na mão, e na prisão.

É Luiz, de tanto que errou, você tanto fez que agora é a bola da vez.

Na marola do mar de lama em que se transformou o seu tempo de poder, não tinha mais como se esconder, e embora o fanatismo de uns, o ego de outros e o interesse de tantos ainda tentarem lhe absolver, mais do que uma pena, você é dígno de pena, Luiz.

Todos que lhe conhecem, sabem muito bem que o seu maior crime foi um assassinato.

Foi você Luiz, e só você que matou o Lula, e ao matar o Lula, você aniquilou a mais bonita militância política que o partido já teve neste país, uma militância legítima, espontânea, verdadeira, não a que você conseguiu transformar em gente paga com pão e mortadela.

Você errou Luiz, e já passou da hora de pagar as contas dos seus erros.

Quem sabe, em sua arrogância insana, você até se sinta feliz!

Afinal, você agora está em cana.

E CANA, é tudo o que você sempre quis.

Autoria desconhecida

Nenhum comentário:

Postar um comentário